DAQUI ATÉ ÀS DOMINATRIX VAI UM INSTANTINHO!!!!

Ser workachoolic nada tem nada de mal desde que se ame o que se faz. Já foi o meu tempo disso.Trabalhei tempos que pareciam infinitos e conclui que eram em vão. Se assim o entendermoos, o trabalho é algo de infinito, nunca acaba, há sempre mais a fazer.
Hoje trabalho das 9 ás tantas – ás vezes são 10 da noite ou 1 da manhã locais, e o trabalho ainda não acabou, pois o trabalho doméstico também ele conta – só porque tenho despesas para pagar, caso contrário dedicaria o meu tempo aos meus hobbies preferidos, a viajar e a algum voluntariado. È mesmo isso, é exactamente como estão neste momento a pensar: dedicaria o meu tempo a gozar a vida! Mas uma vos asseguro, jamais me tornaria numa tia oca e vazia a passear sobre umas belas antas agonizantes e majestosas, pois não é nada o meu género – não gosto de ser um bobo da corte. Eu cá é mais snickers, ténis ou alparcatas – como lhe queiram chamar-, pois há tanto no mundo pra se ver que não há tempo a perder com as futilidades de uma indústria globalizada, escravizante e escravizadora como é essa máquina pérfida de gerar dinheiro a que se chama MODA. E para quem gera ela dinheiro? Para os de sempre, os espertos e traquinas, muitos deles sem escrúpulos ou integridade alguma.
Não gosto de modas e modinhas redutoras, castradoras e vazias. Adoro sim esses exercícios de estilo, da afirmação do nosso eu indiviual pela via de uma estética.
Quanto à Moda, minhas caras fashion victims de horizontes limitados e iletracia adquirida, vós sim são a carne para canhão. Eu e os demais profissionais da área damos graças todos os dias por vocês existirem. São vocês que indirectamente como o vosso consumo desenfreado, tolo, vazio e iletrado que garantem os nossos empregos. A todas vocês tias, tios, quiquis e tótos, meninos e meninas, metro sexuais e gays, marilavas, garanhões e boazudas e companhia: o meu muito obrigada.
Um conselho que vos dou para uma vida menos tóxica:
Não se esqueçam do país tacanho, pequeno e ridículo onde vivem.
Não se esqueçam da impuridade latina que todos nós herdamos.
Não se esqueçam que as aparências não pagão dividas, quanto mais os óculos Prada.
Não se esqueçam que são um isco num jogo em tudo desonesto e canibalizante.

Não se esqueçam do significado da palavra volátil.
Não confundam vaidade e bom gosto com o sentido de está na moda.
Já chega, tamos todos tão cansaços desse conceito tão demodeé!!!!

Arraia Miúda-
– designer de moda e têxteis lar –

Anúncios